Author

Quem faz o blog? Ivan Nunes jornalista desde 2000.
Fale com o Blog A Palavra: (82) 9 9177 2828

Cidades

Emoção marca enterro de Dona Carmelita de seu Juca do bar


Corpo de Dona Carmelita foi conduzido por parentes e amigos para o cemitério Campo Santo dos Palmares



Parentes de Dona Carmelita prestaram última homenagem entre eles Gilton, Edson, Misso, Dr Marinho, vereadora Célia e a filha(Capela) Djalminha e Dona Marli







Seu Juca do bar, esposo de D Carmelita



Féretro deixa residência de dona Carmelita



Amigos de seu Juca foram se despedir de sua esposa






O corpo da comerciante Carmelita Alves Ferreira foi sepultado por volta das 18h desta sexta-feira (18), no cemitério Campo Santo dos Palmares, em União dos Palmares, Zona da Mata alagoana. A emoção tomou conta do local. Amigos e familiares prestaram as últimas homenagens à esta senhora que era considerada uma mulher extremamente popular na cidade.

O sepultamento de Dona Carmelita, que tinha 82 anos, foi acompanhado por familiares, amigos e admiradores. A chegada do caixão ao cemitério foi um dos momentos de grande emoção.

O caixão com o corpo de Dona Carmelita, onde ocorreu o velório e a missa de corpo presente celebrada pelo padre Élcio, da paróquia e Santa Maria Madalena, ficou na sua residência. Ela fazia parte do Sagrado Coração de Jesus da Igreja Católica e, seguiu em cortejo em direção ao cemitério as 17h.

Dona Carmelita, era esposa de seu Juca do bar e estava internada em um hospital particular em Maceió havia alguns dias. De acordo com o último boletim médico divulgado ela enfrentava problemas renais e, faleceu  de falência múltipla dos órgãos.

Durante toda a vida, Dona Carmelita se dedicou a uma lanchonete de propriedade da família em União dos Palmares. Os dois trabalharam mais de 40 anos e foram idealizadores da mais saborosa macarronada da região da Zona da Mata nas décadas de 70, 80, até a chegada da idade onde eles se desfizeram da lanchonete.

Quando a antiga Associação Atlética Palmarina juntamente com a AABB disputam a realização das grandes festas na cidade a exemplo de shows, bailes e carnaval, a última parada antes de um descanso reparador, era a lanchonete de seu Juca e de Dona Carmelita. E assim, o casal conquistou muitos clientes, em função da simpatia e popularidade jamais vista entre os outros donos de lanchonetes da época. Eles foram os pioneiros no atendimento 24h.

Para o radialista Kleber Marques, "muitas das vezes acabava o baile com a banda Alcano na Palmarina e a gente corria para a lanchonete de Dona Carmelita. Lá o nosso pedido era uma macarronada e o prato preferido era de bife. Ela não atendia mista mesmo diante de muita insistência, mas sempre com aquele sabor, enfim, comiam quatro cinco jovens. Nossos anos dourados, eles fizeram parte dele", lembra o radialista.

Ex-político, Ladorvane Cabral foi vereador em União dos Palmares. Ele disse que Dona Carmelita era uma pessoa simples. Formava com Juca um par perfeito, eles se entendiam", conta.

De acordo com o sobrinho, Edson de Nós, "Dona Carmelita era quem fazia os bifes. A manta de carne chegava e ela cortava tudo direitinho, já que o atendimento nas mesas era feito pelo Juca. Saudades", disse.

Dona Carmelita morava na avenida Monsenhor Clovis Duarte, onde hoje funciona a Panificação Vanessa de seu Antônio, que foi se despedir dos antigos vizinhos de maneira bastante emocionada. Atualmente Dona Carmelita residia na rua José Bezerra Montenegro, vizinho a sede do INSS e dos Correios.

Deixa filhos, netos e esposo.

 

 


Publicado em 18/08/2017
1 comentários
O comentário não representa a opinião do blog. A responsabilidade é do autor da mensagem.
  1. User

    Jailton Alves escreveu em 19/08/2017 10:06:11:

    Obrigado amigo Ivan Nunes pelas redação da matéria.

Entre na conversa!

Deixe seu comentário abaixo !

Confirme o código abaixo: