Venda do Zumbi Esporte Clube provoca comoção em União dos Palmares


Time de futebol da cidade está relacionado ao legado de Zumbi dos Palmares




Formigão(de branco) está ligado diretamente a venda do Zumbi


A venda do Zumbi Esporte Clube criou-se um impasse no futebol palmarino. Dizer por sua vez que Enedino Gregório tutor do time de futebol mais antigo de União dos Palmares está encrencado é querer chover no molhado, pois ele sempre colocou à venda e a disposição de muitos o comando do clube e ninguém quis ouvir.

No mercado da bola em Alagoas, o Zumbi já esteve cotado na bolsa de valores a R$ 30.000,00 você acredita? Daí foi perdendo forças e prestigio também e quase o clube foi negociado a prestação. Há uma personagem nesse carnaval todo chamado Luiz Formigão que durante muito tempo foi o principal agenciador para a venda do Zumbi Esporte Clube. Ele sempre teve linha direta com Enedino e Eduardo Neto, responsáveis pelo time.

Se o assunto quisesse ser levado a sério pelas autoridades e esportistas locais o Zumbi permaneceria em solo palmarino e daqui nunca tinha saído pois aqui repousam seus ancestrais há séculos.

Não ouviram o rapaz e agora o time já deve está em alto mar sendo levado em navios negreiros da bola. Fizeram ouvido de mercador e, agora, nossa história no mundo da bola se encontra apenas em nossas memórias.

A noticia da venda do Zumbi, campeão do interior alagoano em 1971, mexeu com muitos que nutrem verdadeira paixão pelo clube que nunca teve presidencia efetiva e, sim, comando provisório.

Só nos resta alcançar o navio negreiro da bola que já deve ir em alto mar, desfazer o negócio e depois compor uma diretoria de verdade, coisa que o time nuncxa teve e, criar conselho deliberativo e fiscal com mandato de dois anos no máximo e reordenar a quem interessar possa, a presidencia do mais expressivo time de futebol da Zona da Mata alagoana. O Murici veio depoi.

Tudo caminha e, pode acontecer, para o que Enedino Gregório mais temia na vida: eleger um novo comando e torcer para que essa gestão não seja desastrosa, para evitar apenas que o velho Zumbi Esporte Clube passe a compor o rol dos  times deficitários administrativamente e o prejuízo deixar de ser dentro de campo e passar a ser fora dele, caso haja um revés, o que não acredito.

Que apareçam os candidatos; a sugestão do prefeito Areski Freitas é a mais inteligente possível quando ele sugere cotização e que se localize o atual dono do clube - Zumbi - que viu no Pantera Verde um time promissor, a partir do nome. 

Venderam o Zumbi como há 365 anos. Precisamos alforria-lo já! Ou será que a história de quilombos não foi suficiente para aprendermos a lição que o passado é uma roupa velha que não nos serve mais, heim?



Comentários