Pai é suspeito de estuprar a filha há 7 anos em União dos Palmares


Acusado mantinha relações sexuais com a filha há 7 anos; acusado foi identificado como Noberto Ferreira de Lima



A  polícia  civil  procura  por  um  homem,  de  40 anos, e identificado como Noberto Ferreira de Lima de 48 anos e suspeito  de  estuprar  a  própria  filha  durante  sete    anos  no  bairro Newton Pereira,  em União dos Palmares,(AL).  A  pré-adolescente,  que  atualmente  tem 13 anos,  teria  denunciado  o  pai  após   conversa  com  psicólogos  e  assistentes  sociais da prefeitura municipal ligados ao conselho Tutelar dos Direitos da Criança e do Adolescente.

Informações policiais apontam que uma  denuncia  anônima foi essencial para que o caso fosse descoberto apontando detalhes de como Noberto agia diante da menor, exatamente ele que é DFiácono de uma igreja no bairro.  A  garota  vinha  sofrendo  abusos  sexuais  do  pai  há  muito  tempo. Desde então,  começou  uma  investigação para  esclarecer  a  acusação o que acabou se confirmando.

No início,  de  acordo com  os  investigadores,  a  menina  negou  o  ocorrido, No  entanto,  após  o  acompanhamento  do  Conselho  Tutelar     e  dos    profissionais de  psicologia,  a  adolescente  teria  reconsiderado   a  contestação  e denunciado  o  pai.

Os  abusos  tiveram  início  quando  ela  tinha  apenas  seis   anos.  A  vítima  teria   revelado,  também   que  o  homem  a  fez  acreditar  que  os  atos  sexuais  seriam  normais  entre  pai  e  filha.

O  caso   só   veio  a  público  nesta  segunda-feira,  (15)  de  abril o que provocou uma reação de pavor até mesmo entre os membros da igreja evangélica onde o Diácono atua. O acusado é considerado pela polícia civil como  foragido.



DENUNCIE

Sabe  de  algum  caso  de   abuso, mas  prefere  não  se  identificar ? Em  Alagoas, denúncias  específicas  de  violência  contra  crianças  e  adolescentes  devem  ser  feitas  pelo  Disque (100),  um  serviço  gratuito  e  sigiloso  que  funciona  24 horas por dia. Caso  não  consiga  contato, o número (181),  também  pode  ser  acionado.



Fonte: Branquinha e Região



Comentários