Mulher que empurrou Padre Marcelo Rossi tem transtorno bipolar e faz tratamento psiquiátrico, diz polícia





mulher que empurrou o Padre Marcelo Rossi do palco, onde ele celebrava a missa de encerramento do acampamento "Por Hoje Não" (PHN), apresenta quadro de confusão mental, transtorno bipolar e faz tratamento psiquiátrico, informou a Polícia Civil de São Paulo. A mulher, que não teve a identidade revelada, tem 32 anos, e viajou do Rio para Cachoeira Paulista (SP) acompanhada do filho de 2 anos, em uma caravana.

De acordo com a polícia, a mulher acessou o palco pela rampa lateral, pulou as caixas de som, conseguiu se desvencilhar dos seguranças, correu em direção ao religioso e o empurrou. Apesar da queda, o Padre Marcelo Rossi não se feriu. Ele foi atendido pela equipe médica do evento e voltou para terminar a celebração.

Após a agressão, a mulher foi levada para a delegacia de Lorena (SP) por policiais militares. O caso foi registrado como lesão corporal, mas o padre não quis prestar queixa contra a mulher. Ela foi liberada da delegacia e encaminhada ao atendimento da equipe médica e social da Comunidade Canção Nova, junto com o filho e a responsável pela caravana.

Padre Marcelo fez reflexão sobre raiva e atentado contra a vida



Sem imaginar que horas mais tarde seria empurrado em pleno sermão, o padre Marcelo Rossi publicou em sua coluna no jornal Extra, deste domingo, uma reflexão sobre como São Bento foi protegido por Deus em dois atentados contra a sua vida, e recomendou ao fiéis pedirem forças diante de situações de inveja e de raiva. No texto, o religioso fala sobre enfrentar esses momentos com amor e na certeza da vitória.

O padre pede aos fiéis que roguem sabedoria a São Bento, que teve seu dia lembrado na última quinta-feira, e ressalta que é preciso tomar seu ensinamento como exemplo para ter uma vida digna e edificante.

Evelin Azevedo - repórter

Fonte: Extra



Comentários