08/01/2020 Por Ivan Nunes

Brigadistas alegam que incêndio na Serra da Barriga teve origem criminosa

Brigadistas que atuam na área de proteção ao Parque Memorial Quilombo dos Palmares, em União dos Palmares, Patrimônio Cultural do Mercosul, em conversa com o blog, admitiram que o incêndio que destruiu boa parte da área tombada foi criminoso.

Eles identificaram que houve uma queimada na região do Caborge - habitada por movimentos sociais - e que nessa área o dono dessa gleba teria perdido o controle do fogo na queima da palha de algumas bananeiras foi quando o fogo se alastrou atingindo cerca de 300 metros da vegetação natural pertencente ao tombo.

No final da tarde desta terça-feira,7, homens do Corpo de Bombeiros Militar foram chamados para debelar o incêndio que consumia boa parte da vegetação natural, parte dela tombada.

Um caminhão com mais de 8 mil litros de água seguiu para o local mas não precisou atuar, haja vista que o vento ajudou um pouco no controle, mas o fumaceiro era possível de ser visto na região do Timbó; Laginha e parte de União dos Palmares. Esportistas que caminhavam pela trilha asfalto de Zumbi chegaram a desistir do percurso de 4 quilômetros.

Ninguém que atua como Brigadista nem o comando dos Agentes Florestais, responsáveis pela preservação do Platô da Serra prestaram queixa na Delegacia Regional de Polícia Civil do município, segundo informações do Delegado Regional, Válter Nascimento. Supostos acusados seguem impunes.

Comentários


Brigadistas e homens do Corpo de Bombeiros enfrentaram rastro de fogo na Serra da Barriga; um crime ambiental impune


Início de noite era possível ver o fogo destruindo boa parte da vegetação








Conhecedores da região, Brigadistas e Bombeiros Militar chegaram no foco do fogo





Brigadistas fizeram vigília temendo novos ataques













Envie seu comentário



Blog A Palavra

por Ivan Nunes