11/01/2020 Por Ivan Nunes

Corpo do professor é sepultado em Maceió; George Washington teve mal súbito e faleceu no HGE

A morte do professor, George Washington Barros Cavalcante, o filho de dona Geruza da Farmácia como era conhecido deixou amigos e autores de propriedade intelectual como atuava em vida, que é aquele conceito que visa abranger os direitos a respeito de produtos ou processos de reconhecimentos, sejam estes tangíveis ou intangíveis, deixou União dos Palmares mais lúgubre.

Ativista político do PSL ele foi as ruas de União dos Palmares nas eleições para a presidência da República onde defendeu a candidatura de Jair Messias Bolsonaro. George Cavalcante também teve uma vida intensa nas letras onde redigiu vários textos mas não conseguiu publicar nenhum.

Utilizava as redes sociais muito bem e expressava claramente uma linha de raciocíonio extremamente conservadora. Sempre em defesa da família como causa pétria. Súbitamente expressou no Mensenger o seu contentamente de estar vivendo ao lado de uma filha com sua neta, que adorava sem sobrosso em João Pessoa-PB. Declinou de vários convites para trabalhar em União dos Palmares.

No amor, teve vários. Uma fonte disse ao blog que ele no seu último relacionamento sofreu um revés seguido de rompimento e voltou a morar em União dos Palmares. Em solo que defendia como sagrado e utilizava a poesia do poeta Jorge de Lima, da jornalista Maria Mariá e outros notáveis como inspiração ele ainda encontrou tempo para reatar um antigo relacionamento que tinha deixado para trás na Serra da Barriga.

Nesse mesmo dia, procurou o locatário que residia no histórico imóvel da família para falar do desejo de romper o contrato pois ele quereria viver na casa dos pais que fizeram história da cidade de União dos Palmares no ramo do comércio.

Passava das 21h quando sentiu-se mal. Levado as pressas para o hospital São Vicente de Paulo o historiador e letrado em vários cursos com louvor começava a perder as forças. Encaminhado as pressas para o HGE veio a falecer na tarde desta sexta-feira,10.

Na manhã de sábado,11, uma filha procedente de João Pessoa-PB esteve no IML em Maceió para liberar o corpo de George Washington para sepultamento feito na capital mesmo.

Correligionários e amigos do professor foram frustrados com o desejo da família do professor George, pois imaginavam realizar uma série de homenagens no plenário professor Jairo Correia Viana, mas o seu sepultamento se realizou de forma simples e rápida no cemitério de São José, em Maceió. Tinha 69 anos.

 E assim, chega ao fim o ciclo de vida do redator do Projeto de Lei que por unanimidade foi aprovado na Câmara Municipal de União dos Palmares que tratava sobre a criação do ECA(Estatuto da Criança e do Adolescente) no município. Uma exigência em nível nacional do então presidente da República, Fernando Collor de Mello. Na época, George Washington Barros Cavalcante contou com a ajuda do professor Barnabel Bezerra - então secretário municipal de Assistência Social - na gestão de Afrânio Vergeti, para a legalidade do ECA no município de União dos Palmares, primeiro da Zona da Mata alagoana.

Comentários


George Washington tinha 69 anos


Com militantes do PSL

Envie seu comentário



Blog A Palavra

por Ivan Nunes