24/06/2020 Por Ivan Nunes

Uma Usina que não sai da cabeça dos palmarinos



 

10 anos depois, a usina mais importante da Zona da Mata alagoana, localizada em União dos Palmares, vira história. Não por sua superprodução de açúcar e álcool a partir de 1958 mas, por tudo que ela representou para a economia alagoana durante os seus mais de 50 anos de imponência no mercado.

Depois da enxurrada de 2010, onde João Lyra botou a Laginha pra funcionar de novo depois de ver todo parque industrial ter sido destruído pelas águas do rio Mundaú, ninguém jamais poderia imaginar que mandasse desligar os motores da usina, num ato que ficou para sempre.

Estava a partir daquela determinação do empresário, sacramentado o pedido de falência da Laginha na Justiça de Alagoas e, assim aconteceu.

A última vez que João Lyra botou os pés na Usina Laginha foi na celebração de uma missa de Natal em 2009, celebrada à época pelo padre José Clerinaldo Lyra da igreja católica de União dos Palmares.

Na homília, padre Clerinaldo comparou a pujança do empresário JL com sua determinação e trajetória no setor sucro-alcooleiro com a de um amigo que também levou um baque no sertão da Paraíba vendo suas empresas recomeçarem do zero.

Assim, em 2010 aconteceu com João Lyra onde ele traçou o caminho de volta, mas por pouco tempo, pois o industrial mais requisitado pelos políticos alagoanos, não queria mais ver a Laginha moendo.

Nesta reportagem com imagens dos repórteres cinematográficos Alan e Wanderson, fatos novos são revelados pelo jornalista Ivan Nunes, que você vai conferir, agora!

Comentários

Envie seu comentário



Blog A Palavra

por Ivan Nunes