Acusado de planejar assassinato do pai, tentar subornar policiais depois de detido

A Polícia Militar (PM) informou à Gazetaweb, na manhã desta quarta-feira (03), que Leandro Bonifácio, suspeito de ter planejado o assalto que resultou na morte do próprio pai, o comerciante José Nildo Bonifácio, conhecido como "Gordo", chegou a subornar os militares que efetuaram sua prisão, oferecendo uma quantia em dinheiro, veículo e imóvel.

Ao todo, seis pessoas podem ter envolvimento com o crime, ocorrido em Joaquim Gomes, interior de Alagoas. De acordo com a polícia, Leandro Bonifácio confessou à guarnição ter pago R$ 3 mil aos acusados e locado o carro que foi utilizado na investida. O veículo já foi localizado pela polícia.

Durante a condução de Leandro até a Delegacia de Polícia, ele confessou o crime praticado contra o próprio pai. Segundo a PM, ele teria tentado, ainda, subornar os policiais ao oferecer uma quantia de R$ 43 mil, um ônibus e uma chácara.

Segundo informações da PM, além do mandante do crime, José Ângelo dos Santos, conhecido como "Zé", suspeito de ter participação na execução de José Nildo, também foi preso. No momento, outros quatro suspeitos ainda não foram localizados.

O CRIME

Ainda segundo a PM, Leandro teria decidido simular um assalto ao pai a fim de dar um "susto", uma vez que ele desconfiava que o filho teria vendido um carro que teria dado de presente a Leandro. No momento do crime, José Nildo teria puxado uma muleta de dentro do veículo, o que fez com que os supostos assaltantes reagissem ao movimento, efetuando disparos contra a vítima.

Após a constatação do crime, a Polícia Militar localizou o veículo utilizado na tentativa de assalto e, dentro dele, um documento de habilitação pertencente a Leandro. Em um primeiro momento, o suspeito teria dito à polícia que o documento foi deixado no carro pelos assaltantes, de forma proposital.


Véiculo usado pelos criminosos

Comentários

Comente também!