Com abastecimento de água da cidade comprometido, Kil de Freitas pensa em vender o Saae

O sistema de abastecimento de água de União dos Palmares está estrangulado. Com estrutura de sua fundação em 1968, o Saae vive a sua pior crise na relação abastecimento de água e clientela, sem ter como motivação a seca.

As águas do rio Mundaú que margeiam boa parte da cidade, está lambendo sua extremidade, mas o que já chegou aos olhos da população está relacionado a falta de investimentos na estrutura de canalização e equipamentos obsoletos da autarquia, que parecem definitivamente ter entrado na UTI.

O reflexo de tudo isso, perpassa por uma procissão de lata dágua na cabeça, malas de veículos, nas motocicletas, carroças, carrinhos de mão e outros modelos de transporte do líquido precioso para as mais de 50 mil residências que o Saae definitivamente sinaliza cansaço no seu abastecimento.

Sua direção diz ter resolvido o problema dessa monta, mas ao ligar os motores, canos estouram, flanges se arrebentam, e vem a luz do dia, a convivência do ferrugem nos canos de amianto, ferro desnudando a frágil situação que se encontra o Saae nos dias de hoje.

A falta de água só interessa a uma pessoa: Kil de Freitas. Prefeito eleito para um segundo mandato ininterrupto e que não cuidou desse gargalo que aflige a todos. Kil tem na cabeça a ideia de vender o Saae e quando expor essa realidade, muitos dirão que 'é melhor vender mesmo, tá falido!". O ledo engano tá ai. Falta gerenciamento. Só biceps de quem comanda o Saae não funciona, necessário reagir a série de problemas que o Executivo Municipal tá nem ai.

Quebrar as vidraças do Saae não importa, pois eles já estão desnudos para essa realidade que não querem enxergar faz tempo. O rei está nú. E Kil de Freitas, oferece flagelo que envolve a todos.

Ainda bem que à salvação para essa dura realidade, são as nascentes, cacimbas, bebedouros e fontes da fazenda Jurema, do Uchôa, da cacimba Dandara. Vida que segue ou o Ministério Público Estadual pode fazer algo já que as peraltices do prefeito Kil parecem não se enquadrar em nada na dura lei. Eis a questão?


Sob o domínio do ferrugem, cano que canaliza água para a população já não atende mais a demanda


Ambiente inóspito aos nossos olhos, daqui sai o líquido precioso para à população


Canos arrebentam a cada tentativa de bombear água para os bairros de União dos Palmares


Vegetação nativa invade ambiente da tubulação


ETA - Estação de Tratamento de Água do Saae: estrutura comprometida




Comentários

Comente também!